• Aimonia Gomes Cabral

Painel : Oportunidades nas carreiras de ciências e tecnologias

Atualizado: 27 de Set de 2018


O Painel sobre as Oportunidades nas carreiras de ciências e tecnologias tivemos como Oradores:


O Senhor Rui de Barros Eng° de Sistemas, Economista e antigo líder da União Económica e Monetária da África Ocidental também ex-Ministro da Economia e Finanças da Guiné-Bissau e também serviu como Ministro do Emprego e do Serviço Civil. O Sr. Barros ainda serviu como primeiro-ministro da Guiné-Bissau durante o período de transição de 2012 e 2014.


A senhora Titina Mané Directora dos Recursos Humanos que trilhou uma boa parte de sua carreira na Orange Bissau que hoje é uma das mais grandes empregadoras da ICT no país, ela fez o Mestrado em Administração na Universidade Cheikh Anta Diop, com mais de onze anos de experiência no domínio da administração e recursos humanos, e mais de cinco anos enquanto chefe contabilístico.


E o Senhor Malmo dos Reis Eng Telecomunicações Jovem formado em ICT, com expectativa de progredir no mercado nacional neste domínio e promover o desenvolvimento Tecnológico social , Engenheiro de projetos experiente com um histórico comprovado em trabalho no setor de telecomunicações. Qualificado em Gestão, Planejamento de Projetos, Gerenciamento de Projetos, Microsoft Office e GSM.



Hoje em dia Guiné-Bissau constata a escassez de perfil técnico no mercado de emprego e não dispõem de um ecossistema empresarial e de inovação adaptada, jovens recém formados tentando quebrar a cadeia criando próprios investimentos tendo em conta a baixa oferta que o mercado propõe. A Guiné-Bissau conta com mais de 60% da população que continua desempregada entre os quais 4,6% são adultos ou seja mais de 55,4% dos desempregados são jovens.


Segundo Senhor Rui de Barros não formamos as pessoas adequado ao mercado do trabalho existente no país, sabendo que estamos num espaço comunitário onde partilhamos a mesma moeda e a concorrência torna-se ainda mais forte, ele faz um apelo ao governo da Guiné-Bissau, às Universidades locais de forma a repensar na reforma do ensino superior adaptável ao sistema internacional evitando assim o que ele denomina de “formação ao desemprego”.


Para Titina Mané para a Orange responder a tempo as demandas de seus clientes investe em seus profissionais capacitando-lhe com as actualizações existentes no mercado das novas tecnologias conseguindo assim compensar a escassez de perfis técnico existente.

Sabendo que o objectivo das ciências e tecnologias concebido com intuito de melhorar a vida da nossa população facilitando assim o exercício de suas atividades.


Para Rui de Barros a guiné tem que inovar e utilizar as ciências de formas racional, hoje em dia há conteúdos existente que poderiam contribuir de forma a melhorar as iniciativas de inovação, não só para o nosso desenvolvimento intelectual mas também para o benefício da população. Para tal ele recomenda a intervenção do governo de forma a reduzir as taxas de imposto para itens informáticos que dará acesso a população a materiais informáticos a preços acessíveis.


Para ele a comunicação constitui hoje uma estratégia para qualquer país no mundo e para Guiné-Bissau é uma oportunidade poder se conectar ao cabo ACE que permitirá a melhoraria na comunicação e o acesso a internet que poderá beneficiar o ecossistema de negócio e inovação.


Um investimento de grande envergadura, no qual o governo se engajou junto ao Banco mundial, que não só vai facilitar a vida dos usuários, mas também criar oportunidades de negócios e empregos que estarão conectadas junto a este projeto, recomenda ainda aos jovens a criar condições e pensar em carreiras adaptáveis.


A Senhora Titina Monteiro complementa que é de extrema importância para que Universidades juntamente com o governo da Guiné-Bissau projetem planos de formação especializadas em profissionais dedicadas nas áreas especificas para acompanhar as empresas que virão se implementar, sabendo que hoje a Orange já depara com escassez de perfis ICT a nível local para responder às suas demandas, e não só se limitou nisso como também aconselha os jovens a acompanhar a visão do país e adaptar as suas escolhas de formação naquilo que o futuro nos conduz.


Para concluir o Eng Rui de Barros informou que não basta se limitar a se formar em áreas especializadas como também requer uma ética de funcionário exemplar, no qual o senhor Malmo ainda adiciona que não é só querer ser técnico informático mas sim ser um excelente técnico e ambicioso sabendo que a nossa volta dispomos de uma concorrência larga a nível da sub-região que actualmente já está a ocupar o nosso mercado pelo qual devemos batalhar e conservar.

34 visualizações

© 2017 by InnovaLab

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey Instagram Icon